sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Associações de Moradores terão seu próprio programa na TV


Ontem, entre 10h e 12h, a direção da UNI-Amacaf abriu os trabalhos de 2012 realizando uma reunião no auditório da OAB-Cabo Frio. O primeiro encontro do ano reuniu presidentes e representantes de várias Associações de Moradores (45) afiliadas à UNI-Amacaf, como: Tangará, Angelim, Parque Central, Amadunas, Guarani, Vila Nova, Morubá, Boca do Mato, Parque Arruda, Jardim Peró, Botafogo, Reserva do Peró, Novo Rumo, Nova Califórnia e Cajueiro, além da Associação de Nordestinos e Amigos de Cabo Frio e CONAM – Conselho Nacional de Associações de Moradores.

Tomando inicialmente a palavra, o presidente da UNI-Amacaf, Bené do Village, saudou a todos e chamou a atenção sobre um fato desagradável que está ocorrendo, sobretudo na mídia social blogueira, que divulga situações comportamentais por parte das Associações de Moradores e seus dirigentes que, segundo ele, são inexistentes.

A seguir, Bené anunciou a inauguração do programa “Força Comunitária” em uma tevê a cabo local, a Jovem TV Cabo Frio, na próxima segunda-feira, dia 9, às 14h. Segundo o cronograma, o primeiro programa será para a apresentação dos presidentes das Associações. No dia 16, o presidente Bené enfocará os objetivos do programa e suas propostas, além de fazer colocações sobre a própria agenda da UNI-Amacaf para 2012.  O terceiro programa, em 23 de janeiro, terá uma mesa redonda composta por líderes comunitários. No dia 30, o programa iniciará a participação de presidentes e diretores das Associações que terão a oportunidade de falar sobre problemas, eventos, cursos e campanhas (vacinação, etc.) em suas comunidades, bem como sobre soluções que encontraram para resolver positivamente determinadas situações. Bené encerrou alertando que “não se deverá levar situações políticas para dentro do programa”.

Antes de passar a palavra aos presentes, de forma democrática, Bené insistiu na necessidade de uma maior união entre as Associações, visando o bem estar comum. Segundo ele, às vezes a experiência vivida e solucionada por uma Associação pode servir de modelo para outra comunidade em posição semelhante, precisando apenas de pequenas adaptações. Ele também insistiu no reconhecimento, pelas próprias Associações, da sua importância no cenário do município. “Muitas vezes – ressaltou ele - as soluções são encontradas independentemente de ajuda da administração pública”.

Em relação ao programa, Laura Brinckmann, presidente da Amadunas e diretora geral da UNI-Amacaf, destacou o grande passo que ele significa para as Associações: “É importante sermos mais vistos, mais lembrados. A união, na prática, como deseja o nosso presidente Bené, é muito difícil, mas não impossível”.

A presidente Valéria, com certo otimismo temperado por bom senso e realidade, resumiu o dia-a-dia de uma Associação: “todos os dias temos luta, mas também temos vitórias”.

Já Caé, presidente da Associação da Reserva do Peró, definiu em poucas palavras a sua visão do “Força Comunitária”: “O programa, na tevê, não é para se aparecer ou para fazer política. É para falar do seu bairro, das Associações. Somos nós que temos este conhecimento”.

Vários presentes foram ao microfone explicar que suas comunidades não captam as tevês a cabo, sobretudo no 2º Distrito, mas foram tranquilizados por José Maria Brinckmann, da direção da UNI-Amacaf.  Ele informou que o blog  http://cabofriolegal.blogspot.com transmitirá o programa através de um link que está sendo providenciado. Com esta iniciativa, as pessoas terão a alternativa de acompanhar o “Força Comunitária” pela internet.


Presença da Secretaria Municipal de Assistência Social

Por solicitação do presidente Bené à secretária Olívia Sá, a última parte do encontro contou com a participação dos assistentes sociais Glauci Laurindo Athaíde e Eduardo Alcon Meyer, da Secretaria Municipal de Assistência Social.

 A técnica Glauci falou sobre os projetos e programas sociais que são desenvolvidos pela Secretaria, junto às comunidades mais carentes. Cada um foi detalhado, inclusive quanto à faixa atendida, devido às diferenciações presentes nas situações de carências. Segundo Glauci, “o atendimento prioriza famílias à margem da sociedade que vão receber o encaminhamento para que possam fazer jus ao benefício indicado ao seu caso”.

O Bolsa Família e demais projetos e programas estão disponíveis, desde que as pessoas se cadastrem junto à Secretaria. Isso pode ser feito em um dos sete CRAS ou no Centro de Acolhida, na sede da própria Secretaria, localizada na Prefeitura do Braga. 

Também foi destacado o papel do plantão, nos finais de semana, para atendimento a situações emergenciais, como é o caso de enchentes e desabamento, entre outras ocorrências. Além de atender pelo telefone nº 9242-1444, o plantão conta com uma viatura disponível.

Como o assunto trouxe à memória de vários presentes os maus momentos que passaram em dezembro de 2010 e janeiro de 2011, quando chuvas torrenciais e fortes ventos castigaram o município, sobretudo os bairros Tangará e Jacaré, o técnico Eduardo lembrou que nesses momentos difíceis para os moradores, apesar de a Assistência Social providenciar a remoção das famílias para locais seguros, muitos recusam deixar as suas casas com medo de perder o pouco que lhes restou. Nesses momentos, é comum aparecerem pessoas desonestas que tiram proveito da calamidade alheia para praticar furtos.

Ainda em relação a janeiro 2011, Glauci destacou que, até o presente momento, ou seja, um ano depois, algumas famílias ainda usufruem do “aluguel social” providenciado pela Secretaria.


Texto/Fotos/Sylvia Maria (Jornal Noticiário dos Lagos – 05.01.12)
1. Maria do Socorro, vice-presidente da Associação do Tangará e Bené do Village, presidente da UNI-Amacaf

2. Glauci Athaíde e Eduardo Meyer, assistentes sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga por Email