sexta-feira, 23 de março de 2012

Diretoria da UNI-Amacaf e Associações de Moradores participam de audiência pública

A Prefeitura de Cabo Frio, através da Secretaria Municipal de Transporte, realizou na quinta-feira, dia 15 de março de 2012 a partir das 14h, na Associação de Aposentados e Pensionistas, uma audiência pública sobre o processo licitatório para concessão de transporte coletivo no município.

Entre os presentes estavam o secretário municipal de Fazenda, Clésio Guimarães; o advogado Newton Carneiro, da Procuradoria Geral do Município; o subsecretário municipal de Transportes, Maurílio Ferreira; o vereador Fernando do Comilão; o  presidente da Associação de Aposentados e Pensionistas de Cabo Frio, Luís Diniz; representantes de instituições e entidades; advogados e pessoas da sociedade civil.

A UNI-Amacaf foi representada por seu presidente Bené Ribeiro e vários presidentes e diretores de Associações de Moradores: Sra. Lurdes Moreira (Angelim); Daniel Siqueira (Vila do Sol); Dario (Recanto das Dunas) e Valéria Aranha (Nova Caledônia).

Na ocasião o secretário municipal de Transportes, Mauro Branco, fez uma exposição detalhada, com projeções de gráficos, das propostas consideradas importantes para a fundamentação das diretrizes da licitação. Foram cerca de três horas de explicações, levando-se em conta os apartes e as intervenções.

A audiência, de forma participativa, promoveu acesso a informações, esclarecimentos de dúvidas, recepção de sugestões referentes ao futuro edital de concorrência, com o objetivo de regularizar e aprimorar o sistema.

Segundo Mauro Branco, o objetivo é transformar a atual malha em uma malha otimizada e todos podem contribuir. Um exemplo: o ônibus passou e não parou no ponto para o cidadão que acenava? É preciso, então, informar a empresa sobre a ocorrência. O sistema proposto considera a integração geral dos serviços em todo o município, com aumento substancial de horários oferecidos e consequente diminuição do tempo de espera, entre outras colocações.

- Vamos continuar a receber sugestões e a interagir com as pessoas através do site do Conselho Municipal de Transportes - www.moblidadeabofrio.com.br – onde também estão informações sobre a audiência pública. Acho que esta audiência pública correspondeu às expectativas porque conseguimos explicar como funciona o sistema de transporte e esclarecemos dúvidas sobre o processo licitatório. Em relação à parte jurídica, não tenho como responder, mas vamos estudar as perguntas e propostas apresentadas. Vamos fazer tudo que for necessário para cumprir toda a lógica jurídica.

Associação de Moradores lutou e obteve uma linha para seu bairro.

A presidente da Associação de Moradores do bairro Nova Caledônia, Valéria Aranha, compareceu à audiência pública (15/03/12) sobre o processo licitatório para concessão de transporte coletivo no município. Com ela estava a sua diretoria: Jurandir Nunes da Costa, Janete Oliveira, Gilmar Elias, Manoel Severino e Maria Cleide. Segundo Valéria, além da participação da sua comunidade no evento, que julgou muito importante, a Associação também está pleiteando junto à empresa Salineira uma extensão do horário da linha Nova Caledônia, à noite:

- Nós gostaríamos de ter mais horários depois das 19h, para atender os alunos que estudam no turno da noite e os trabalhadores que têm um horário mais prolongado. Para Jurandir Nunes da Costa, esposo de Valéria e vice-presidente da Associação, a linha foi inaugurada há um ano e trouxe bons resultados:

- Foi uma grande batalha, Maurílio e Mauro Branco apoiaram o nosso pedido e tomaram essa iniciativa junto conosco, moradores do bairro. Nessa luta fomos à Salineira, fizemos várias reuniões até que chegou a surpresa: o ônibus iria entrar em nosso bairro. Muitos não acreditaram, nos malharam, nos criticaram. Mas graças a Deus e ao esforço de todos, conseguimos a linha Nova Caledônia que atende a população de um loteamento com 20 mil lotes. Ali a área é muito grande, as ruas são imensas e o povo fica na dependência de uma condução. As pessoas têm que andar muito para chegar até a rua principal.

Jurandir ressalva que as pessoas agora podem usar ônibus pagando R$ 1 e que a demanda das Kombis acabou:

- Eles também foram beneficiados. Saíram da Kombi, mas ganharam autonomia de taxi da prefeitura. Esses motoristas não ficaram desamparados. Não podemos ser ingratos com todos que nos auxiliaram e com a Associação.

Pelos cálculos de Jurandir, a distância – 48 quilômetros - entre o bairro e o centro de Cabo Frio é percorrida em aproximadamente 50 minutos. Antes, o morador do bairro tinha que utilizar o serviço das Kombis ou caminhar até o ponto onde passa o ônibus circular da linha Santo Antônio que atende o Distrito de Tamoios.


Texto e fotos/Sylvia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga por Email