domingo, 5 de maio de 2013

UNI-Amacaf realiza a sua quarta reunião mensal




No dia 26 de abril (sexta-feira) o presidente da União das Associações de Moradores de Cabo Frio (UNI-Amacaf), Bené Ribeiro, recebeu os presidentes de Associações de Moradores dos dois distritos de Cabo Frio, e representantes de outras entidades ligadas à UNI-Amacaf, para o tradicional encontro realizado todos os meses na sede da  entidade, situada na Praça da Melhor Idade, no bairro da Passagem.

Estiveram presentes Marta de São Paulo e Laura Brinckmann, respectivamente vice-presidente e secretária geral da UNI-Amacaf; e os presidentes das Associações de Moradores destes bairros: Botafogo, Guarani, Itajuru, Cajueiro, Parque Central, Bougainville II, Parque Eldorado II, Parque eldorado III, São Cristóvão, Novo Rumo,  Tangará (Acmabta), Reserva do Peró, Bairro União, Jardim Esperança, Bosque do Peró,
Caminho de Búzios, Monte Alegre II, Palmeiras e Praia do Siqueira, Nova Califórnia, Vila do Sol, Vila do Ar, Cantinho do Céu e Jardim Excelsior.

A ACICAF (Associação Ciclística de Cabo Frio) e Arcolagos (Associação dos Corredores da Região dos Lagos) foi representada por Márcio, do Correio, que anunciou para breve novos projetos. De acordo com o presidente Bené, a reunião é a quarta deste ano e transcorreu dentro do previsto, com boa participação e atendendo à pauta previamente elaborada, que contou com palestrantes abordando: geração de emprego através do projeto “Jovem Aprendiz”, cursos profissionalizantes, questões referentes a arruamento e entrega de correspondência, avisos de interesse das Associações, entre outros itens.

Palestras e informações comunitárias

- Marta de São Paulo falou sobre atividades físicas e esportivas nas comunidades, ministradas por professores de educação Física habilitados pelo Sistema CONFEC/CREF (Conselho Federal de Educação Física e quatorze Conselhos Regionais de Educação), destacando que não é por falta de profissionais regulamentados pela Lei 9.696 que as comunidades carentes deixam de usufruir dessas atividades. Basta se
organizarem. A APEF – Associação de Profissionais de Educação Física da Região dos Lagos está à disposição para orientar os presidentes de Associações interessados.

- Laura Brinckmann apresentou em detalhes os cursos do Pronatec, propostos pela Secretaria Municipal de Assistência Social, que podem ser ministrados em diversas comunidade, de acordo com o espaço físico disponível.

- Robson Pinheiro, presidente da Associação de Moradores da Vila do Ar (na grande Jardim Esperança), palestrou sobre a legalização da numeração das residências. “Hoje, nós somos o único bairro de Cabo Frio que tem todas as casas com números oficializados na Prefeitura. Onde havia ruas projetadas, criamos um arruamento e hoje já temos mais de vinte ruas com nome - escolhemos colocar nomes de pássaros – e conseguimos obter placas indicativas com a nomenclatura dos logradouros para todo o bairro. Também conseguimos o mapa do bairro pelo qual mostramos às pessoas os limites do bairro. Estou passando para os companheiros de Associações que se cada uma fizer a sua parte, vamos dar um passo à frente e, daqui a muito pouco, teremos um município todo legalizado quanto à questão dos nomes das ruas. Estou nessa luta desde 2010 e já encaminhei aos Correios um ofício solicitando o CEP que ainda falta em algumas ruas”.

- Jocilei Silveira Lima, o Godô, presidente da Associação de Moradores de Botafogo (2º Distrito), informou que nos dias 26 e 27 de julho acontecerá, na Praça de Botafogo, a 2ª Cruzada Evangelística. O evento foi realizado com sucesso no ano passado e, no momento, a 2ª edição está em fase de organização. Neste sentido um ofício foi encaminhado ao secretário municipal de Eventos, Edson Leonardes, solicitando uma
série de implementos (tendas, barracas, palco, mesas, cadeiras, som e iluminação, folhetos de divulgação, etc.) para a estruturação do evento. Segundo Godô, haverá a presença de preletores e de cantores evangélicos. Ele lembra que, em setembro, haverá a tradicional Festa da Farinha.

Sobre a entrega de correspondência, continua o mesmo esquema: todas as sextas-feiras uma pessoa da Associação vai à Agência de Correios, em Unamar, buscar a correspondência para moradores de Botafogo, que fica disponível na sua sede. Mas há um problema: a maioria das contas (energia) chega indicando o destino “São Pedro da Aldeia”, o que dificulta este serviço voluntário. Destaque-se que há um bairro Botafogo, do município aldeense, limítrofe ao de Cabo Frio. A boa notícia é que a Prefeitura cabo-
friense realizou a colocação de lâmpadas em grande número de ruas do bairro. Outras não puderam ser contempladas porque falta ainda a instalação de redes por parte da concessionária Ampla. Quanto ao problema de fornecimento de água, para o bairro, ele foi resolvido a contento pela Prolagos.

- Fábio da Farmácia, com Leandro Gaguinho, anunciaram a eleição, no próximo domingo, da nova diretoria da Associação de Moradores do Jardim Esperança (chapa única), em que são candidatos a presidente e vice-presidente, respectivamente.

- Sandra Raquel da Silva Nascimento, presidente da Associação de Moradores de Monte Alegre II, única associação do gênero que tem uma diretoria exclusivamente composta por mulheres, destacou que no momento a Prefeitura está presente no bairro executando ações de limpeza.

Projeto Lagoa Limpa

Marta de São Paulo anunciou a ação para limpeza da Lagoa de Araruama, neste sábado (27). O encontro será na Morada do Samba, às 9h, e o foco da faxina será a orla da Praia do Siqueira. Durante a 1º ação, desenvolvida na Praia das Palmeiras, em apenas duas horas foram recolhidos duas toneladas de lixo. O evento é aberto à participação de todos.

Texto e fotos/Sylvia Maria (in Jornal Noticiário dos Lagos / 27.04.2013)

domingo, 10 de março de 2013

Associações de Moradores participam de capacitação no auditório da prefeitura


No dia 1º de março, a partir das 10h, presidentes e representantes de Associações de Moradores dos dois distritos de Cabo Frio compareceram à capacitação promovida pelo Inea e Serenco, com o apoio da Prefeitura, antecedendo as audiências públicas que serão realizadas para a efetivação do Plano Municipal de Saneamento Básico.

O secretário municipal de Legislação Fundiária, Dr. Brasilmar Santana, abriu as palestras apresentando o projeto de legalização das propriedades que não têm documentação apropriada. O planejamento prevê, inicialmente, a ida de uma equipe da Secretaria aos bairros para efetuar o levantamento destas propriedades apenas com o objetivo de solucionar o problema através da legalização.

A seguir o superintendente regional do Inea, em Cabo Frio, Túlio Vagner, falou sobre as respectivas competências dos órgãos envolvidos na realização do PMBS. Ele destacou aspectos da Lei de Saneamento e apontou a relevância da mobilização popular para o andamento de todo o planejamento.

Presença significativa das Associações

Segundo o presidente da UNI-Amacaf, Bené Ribeiro e Laura Brinkmann, diretora, foram convidadas 52 Associações de Moradores. Para Bené, a primeira reunião do ano, em janeiro, na sede da entidade, na Praça da Melhor Idade, bairro da Passagem, entre presidentes e o coordenador do Projeto de Comunicação e Mobilização Social, engenheiro químico Cláudio Barretto (Serenco), rendeu bons frutos: presidentes, representantes e acompanhantes de 48 associações compareceram.

- A colaboração da UNI-Amacaf, com as partes envolvidas, está correspondendo às melhores expectativas, com participação positiva das Associações de Moradores – destacou Bené Ribeiro.

Por motivos diversos – trabalho, compromissos, condução e outros – alguns presidentes chegaram mais tarde, a tempo de receberem os questionários com 40 perguntas sobre quatro temas - água, esgoto, drenagem e lixo – focos da atual etapa dos trabalhos preliminares.

Portanto, a relação das associações e entidades presentes é parcial: Jacaré, Unamar I, Unamar II, Monte Alegre II, Tangará, São Jacinto, Nova Califórnia, Parque Eldorado I, Parque Eldorado III, Botafogo, Buganville III, Samburá, Jardim esperança, Vila do Sol, Jardim Náutilus, Peró, Guarani, Dunas, Cantinho do Céu, Boca do Mato, Rainha da Sucata, Porto do Carro, Praia do Siqueira, Tamoios, Parque Arruda, Parque Central, Reserva do Peró, Orla 500, Santa Margarida, Novo Rumo, Movimento de Mulheres em
Ação do Porto do Carro.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Planos Municipais de Saneamento Básico para a Região dos Lagos


O engenheiro químico Cláudio Barretto representa a empresa Serenco (Serviços de Engenharia Consultiva) contratada pelo Inea (Instituto Estadual de Ambiente) para desenvolver os Planos Municipais de Saneamento Básico dos oito municípios da Região dos Lagos: Cabo Frio, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande, Araruama, Saquarema e Silva Jardim.

Nesta entrevista exclusiva ao Noticiário dos Lagos, realizada na sede da UNI-Amacaf (União das Associações de Amigos e Moradores de Cabo Frio) que congrega um expressivo número de Associações de Bairros, o engenheiro destacou os objetivos e metas da ação em andamento sob a sua coordenação:

- Estamos sediados em Cabo Frio, inclusive porque este é um dos municípios que consta deste Plano que vai compreender o planejamento para sistemas de abastecimento de água, sistemas de esgotamento sanitário, sistemas de drenagem das águas pluviais (chuva) e sistemas de coleta e tratamento de resíduos sólidos (lixo).

Como explica Cláudio Barretto, os Planos Municipais abrangem quatro vertentes - água, esgoto, drenagem e lixo – que são o foco da atual etapa dos trabalhos preliminares:

- Estamos na fase de encerramento de diagnóstico da situação atual, ou seja: como se encontram os sistemas de água, esgoto, drenagem e lixo nestes municípios. No meu caso, tenho a coordenação de um trabalho, o chamado Projeto de Comunicação e Mobilização Social.

Segundo o engenheiro, esses planos decorrem da Lei nº 11.445/2007, conhecida como Lei de Saneamento Básico, e são fundamentais para o desenvolvimento dos municípios:

- Esta lei, regulamentada em 2008, determina que todos os municípios brasileiros têm que desenvolver seus planos municipais de saneamento básico para terem acesso às verbas disponíveis no Ministério das Cidades, na Funasa (Fundação Nacional de Saúde, vinculada ao Ministério da Saúde) e outros setores. Esses planos vão para as Prefeituras, depois para Brasília. Se eles estiverem de acordo, as Prefeituras terão acesso às verbas para se executarem os projetos e as obras subsequentes.

Projeto prevê três audiências públicas

No entanto, ressalva o engenheiro, há um detalhe muito especial na Lei nº 11.445/2077, justamente pertinente com a sua área de ação:

- Ocorre que esta lei exige a participação popular. Ela exige que a população atue junto durante todo o período da execução dos Planos. Neste sentido, estaremos fazendo o seguinte, já que os Planos contemplam três audiências públicas durante a fase de execução em cada município, sendo uma no final da realização do projeto, totalizando 24 eventos dessa natureza em toda a Região dos Lagos. Vamos chamar toda a sociedade civil e organizada.

Como está prescrito pelas regras do projeto, assinala Claudio Barretto, haverá em Cabo Frio três audiências em datas a serem divulgadas:

- Estamos na primeira fase do Projeto de Mobilização Social e estamos mobilizando os presidentes, ou representantes, ou líderes das Associações de Bairro. Nós pretendemos
reunir estas pessoas em determinado local para realizarmos a capacitação desses senhores e senhoras. Eles vão saber o que é um Plano Nacional de Saneamento Básico, o que significa a Lei nº 11.445, o que virá de bom para o município. Essa Lei, agora, é uma realidade. Se fizermos o Plano conforme manda o figurino, as vernas virão e teremos uma grande chance de começar a resolver os nossos problemas de saneamento.
Neste sentido, acrescenta Barretto, a participação da população é fundamental para o bom êxito das propostas apresentadas:

- A população tem que estar junto na elaboração do Plano, senão o Plano não fica válido. Assim, nesta primeira fase estamos pré-agendando a data da capacitação junto à diretoria da UNI-Amacaf, ainda para este mês de fevereiro, possivelmente no dia 28. As Prefeituras devem colaborar por serem partes integrantes do Plano, especialmente as Secretarias Municipais de Meio Ambiente. O Inea, que nos contratou, está colocando as Secretarias Municipais de Saneamento junto com o projeto, para que abracem e deem uma força ao projeto.

Além destas, destaca Barretto, todas as Secretarias de Governo estão sendo envolvidas:

- Falamos das Secretarias de Meio Ambiente, para que haja uma Secretaria capitaneando a evolução do projeto; isto é o que o Inea está sugerindo. Através do seu superintendente regional, senhor Túlio Wagner, o Inea está realizando reuniões nas Secretarias Municipais de Meio Ambiente, nos levando junto e apresentado a eles o projeto; e solicitando que estas Secretarias se façam ativamente presentes no plano de ação.

No contexto da capacitação, aponta o engenheiro, há uma importante particularidade:

- Vamos aplicar uma consulta pública para a população. Na verdade é um questionário que foi desenvolvido, de 40 perguntas, sobre água, esgoto, drenagem e lixo. Bessa capacitação, nós vamos entregar aos presidentes ou representantes das Associações um número X de questionários que eles distribuirão em seus respectivos bairros. O objetivo é que as pessoas responsam como elas se sentem no atendimento quanto a esses quatro temas: água, esgoto, drenagem e lixo. Com isso vamos ter a resposta da população. Não podemos somente ouvir as Prefeituras, as concessionárias, as Secretarias ou outros órgãos.

Finalizando a sua exposição, o engenheiro destaca novamente a relevância da capacitação, inclusive pela abrangência da sua proposta:

- Nós precisamos ouvir a população, como diz o projeto. Esta é a mobilização social que desejamos obter através da opinião das pessoas sobre os serviços públicos que recebem. 

Por isso vai haver a capacitação de líderes de comunidades, exatamente para isso: vamos mostrar a eles o que é o Plano, por que precisamos da participação da sociedade, finalizando com a aplicação do questionário.

Participação da UNI-Amacaf no projeto

Segundo o presidente da UNI-Amacaf, Bené Ribeiro, a instituição está acolhendo de braços abertos esta iniciativa:

- A UNI-Amacaf, nos movimentos sociais de Cabo Frio, sempre vem marcando a sua presença, não só nos Conselhos Municipais e nos Conselhos Estaduais, inclusive em entidades como a aqui representada por nosso prezado Cláudio Barretto, da Serenco. Já tivemos uma palestra dele aqui na UNI-Amacaf (Praça da Melhor Idade, bairro da Passagem) para as Associações de Moradores, foi a nossa primeira reunião deste ano. Ele explicou qual é o objetivo do seu trabalho em relação ao esgoto, lixo e demais temas do Plano Municipal de Saneamento. Agora chegou o momento de qualificar esses presidentes ou representantes para que se possa desenvolver em seus bairros um bom atendimento desses serviços.

Para Laura Brinckmann, secretária-geral da UNI-Amacaf, a proposta do projeto é excelente:

- Este projeto interessa a toda a população dos dois distritos de Cabo Frio. Para fazermos essa parceria precisamos dos presidentes das Associações de Moradores. Esperamos que eles venham nos auxiliar quanto ao questionário que foi elaborado por nosso engenheiro Cláudio e sua equipe. E precisamos, da mesma forma, da participação dos demais órgãos competentes para que nos recebam e acolham com esse plano de remanejamento que nos caiu do céu. Que ele seja muito bem-vindo para Cabo Frio.

A secretária-geral acrescenta que nesta quinta-feira, dia 21, às 9h, haverá um café da manhã para todos os presidentes de Associações de Moradores na sede da Singular Cursos de Petróleo e Gás. O objetivo do encontro é a qualificação de jovens das comunidades para este mercado em crescente expansão.

Sobre a Lei nº 11.445/2007

O Plano de Saneamento tem por base a Lei nº 11.445/2007, conhecida como a Lei de Saneamento Básico, que tornou obrigatória a elaboração da Política e do Plano de Saneamento Básico pelos titulares dos serviços. O Decreto nº 7.217/2010 determinou que, a partir de 2014, o acesso a recursos da União, quando destinados a serviços de saneamento básico, estará condicionado à existência de Plano Municipal de Saneamento Básico, definido por esta lei como o “conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais urbanas”.

Modelos do questionário (aborda 04 temas)

1. ABASTECIMENTO DE ÁGUA
1.1 Na sua rua passa a rede pública de abastecimento de água potável (Prolagos)?
( ) SIM ( ) NÃO ( ) NÃO SEI

2. ESGOTAMENTO SANITÁRIO
2.1 Na sua rua passa rede pública coletora de esgotos sanitários?

3. DRENAGEM E MANEJO DE ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS
3.2 A rua onde você mora tem sistema de drenagem das águas da chuva?
( ) SIM ( ) NÃO

4. LIMPEZA URBANA E MANEJO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS (LIXO)
4.1 A sua rua tem coleta de resíduos sólidos (lixo)?
( ) SIM ( ) NÃO


Texto e fotos: Sylvia Maria (Jornal Noticiário dos Lagos/19.02.13)


UNI-Amacaf solicita segurança para praça e bairro da Passagem



Nesta entrevista ao Noticiário dos Lagos, o presidente da UNI-Amacaf, Bené Ribeiro, fala inicialmente sobre os motivos que levaram a entidade a enviar um abaixo assinado com cerca de 800 assinaturas ao prefeito de Cabo Frio e à Câmara Municipal.
- Nós, da União de Associações de Moradores de Cabo Frio (UNI-Amacaf), e a Associação de Moradores do Bairro da Passagem, encaminhamos ao senhor prefeito Alair Corrêa e ao presidente da Câmara Municipal, vereador Marcello Corrêa, um abaixo assinado – e aqui está uma cópia dele – para a retirada da concentração dos blocos de carnaval aqui na Praça da Melhor Idade, apenas mantendo o bloco de carnaval da comunidade e a Escola de Samba Flor da Passagem.
Segundo a explicação de Bené, no período do carnaval e nos dias que se seguem ao prolongado feriado é quase impossível, aos membros da diretoria da UNI-Amacaf atenderem às demandas de rotina da entidade cuja sede fica justamente na Praça da Melhor Idade.
- A coisa funciona desta maneira: os blocos concentram aqui, as pessoas bebem cerveja além da conta e apesar de haver banheiros químicos no entorno, elas se aliviam em qualquer lugar e canto da praça e do seu entorno, transformando a rua em um “pipi-room”. Para agravar a situação, só pode usar o banheiro químico quem comprar o abadá. O cara já está cheio de cerveja e não quer saber: ele cai direto aos postes, canteiros, por aí.
Outra situação que ocorre com frequência, como cita Bené, é o “banho” de cerveja:
- E tem mais. Há blocos que dão duas horas de cerveja de graça. O cara já não aguenta beber tanta cerveja, mesmo sendo de graça. O que ele faz? Ele pesa uma garrafa pet, corta e enche de cerveja, e começa a jogar em cima das moças. Até que alguém perde a paciência, dá um tapa e começa uma briga. E complicado.
Em busca de uma solução para este quadro um tanto fora de prumo, o presidente da UNI-Amacaf tomou a iniciativa e, em parceria com o novo presidente a Associação de Moradores da Passagem, Eduardo Augusto, produziu um abaixo assinado no qual constam aproximadamente 800 assinaturas dos moradores do bairro, tanto dos prédios de apartamentos como das casas.
Apesar de saber que neste carnaval não haverá tempo hábil para que medidas sejam adotadas, o presidente complementou o seu pedido ao prefeito e á Câmara com uma segunda iniciativa:
- Já encaminhamos ao secretário municipal de Ordem Pública, Adalberto Porto, um ofício solicitando um guarda para a Praça da Melhor Idade; não apenas durante o carnaval, mas durante o ano todo já que temos aqui, além da sede da UNI-Amacaf, uma Academia Municipal de Ginástica a céu aberto, voltada principalmente para a terceira idade. Além disso, esta praça acolhe crianças e jovens, além de pessoas que marcam encontro aqui para conversar e jogar damas e cartas nas mesas espalhadas em toa a sua área.
Completando as informações do presidente Bené, cabe destacar que a Praça da Melhor Idade faz parte dos pontos de vacinação quando há campanhas de imunização, bem
como de eventos esportivos, culturais e bazares solidários. Além dessas ações, semanalmente um grupo de senhoras da Passagem ali se reúne para aulas de artesanato: bordados, tricôs, crochês, bijuterias, pintura em tecidos e muitas outras opções. O trabalho desse grupo já é conhecido e seu prestígio vem crescendo, inclusive recebendo a adesão de senhoras de outros bairros.
Para a diretora geral da UNI-Amacaf, Laura Brinckmann, estes motivos justificam as solicitações apresentadas pela entidade, juntamente com a Associação de Moradores do bairro:
- Para a nossa Associação, é uma situação desagradável. Sofremos com os blocos porque acontecem coisas absurdas depois da cervejada. Em minha opinião, uma entidade que recebe os presidentes e as lideranças comunitárias deveria ser mais preservada. E com relação aos moradores, acho que eles têm razão. Não poderia haver um local preparado para a saída dos blocos? Tem que ser aqui nesta praça? Depois do carnaval ficamos impossibilitados de entrar em nossa sede para realizar o nosso trabalho devido, sobretudo ao mau cheiro reinante.

Texto e foto: Sylvia Maria (Jornal Noticiário dos Lagos – 08.02.13)

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Reunião entre o secretário de Defesa Civil e Associações de Moradores



A UNI-Amacaf promoveu às 17h de quarta-feira (9/11), na Praça da Melhor Idade, um encontro entre o secretário de Defesa Civil de Cabo Frio, Major Evenilson, e presidentes e representantes das Associações de Moradores do município.

De acordo com o presidente da UNI-Amacaf, Bené Ribeiro (Bené do Village), o encontro foi bastante produtivo e serviu de ponto de partida para as próximas reuniões mensais das Associações de Moradores, em 2013:

- A UNI-Amacaf, no seu programa televisivo “Força Comunitária”, recebeu na última segunda-feira (7) as Associações de Moradores para desejar um feliz Ano Novo ao senhor prefeito, aos vereadores e aos secretários. Na ocasião cada presidente de Associação fez o uso da palavra para lhes desejar as boas vindas.

O presidente estendeu-se, também, sobre os convidados palestrantes:

- Hoje, nesta primeira reunião, tivemos quatro palestrantes: a assistente social Gisele, do Lar Esperança, que falou sobre o Bazar Comunitário; depois se apresentou Cláudio Barreto, que falou sobre o Plano Municipal de Saneamento; e a Sigridy Lima que apresentou um projeto social muito interessante. Inclusive projetos que as Associações de Moradores poderão até obter verbas do governo federal. Basta que elas tenham o
CND (Certidão Negativa de Débito). Estamos, sempre, falando sobre isso. Encerrando o nosso encontro tivemos a palestra do titular da Secretaria de Defesa Civil do nosso município, que está sendo criada.

Com presença bastante expressiva, para satisfação de Bené do Village, compareceram presidentes e representantes destas Associações de Moradores: Reserva do Peró, Jardim Peró, Guarani, Parque Eldorado I, Parque Eldorado III, Vila do Sol, Cajueiro, Jardim Esperança, Jacaré, Vila do Ar, Jardim Caiçara, Praia do Siqueira, Parque Arruda, São Jacinto, Morubá, Botafogo, Tangará e Braga.

SUB > Apresentação dos palestrantes

Sigridy Lima compareceu à reunião como representante da Economia Solidária do município de Cabo Frio:

- Com Lucia Pinto e Madalena estive em uma plenária, em Brasília, representando a Economia Solidária de Cabo Frio. Dentro desta Economia estão incluídos os CRAS, a cultura, a pesca artesanal, a agricultura familiar, o projeto Compra Solidária. Queremos juntar todo esse grupo e fazer um Fórum permanente para trabalharmos solidariamente.
Nesta oportunidade convidei os presidentes das Associações para participarem e divulgar o Fórum que deverá ser realizado daqui uns trinta dias, em data e local a serem definidos.

O engenheiro químico Cláudio Barreto explicou que faz parte do quadro da empresa Serenco, contratada através de licitação pelo INEA (Instituto Estadual do Ambiente) para realizar em Cabo Frio uma pesquisa sobre Saneamento Básico. Em sua palestra ele falou dos objetivos da pesquisa e do apoio que espera receber dos presidentes das Associações de Moradores quando visitar os seus respectivos bairros. Segundo Cláudio, essa receptividade é importante para o bom êxito da pesquisa que será feita através de questionário abordando fornecimento de energia e água, existência de esgoto, recolhimento de lixo e, de forma mais abrangente, os problemas básicos de cada bairro.
Em sua apresentação, o secretário municipal de Defesa Civil, Major Evenilson, traçou uma pequena biografia sobre a sua atuação em Cabo Frio e, a seguir, enfocou a dinâmica das ações adequadas quando ocorre um incidente.

- Trabalho nesta área, em Cabo Frio, há dez anos; primeiro como bombeiro e, a seguir, com projetos sociais. Fui subcomandante operacional, aqui, assim como o gestor do Projeto Bombeiro Mirim; e fui coordenador regional da Dengue. Assim, já visitei todos os bairros, seja levando até eles projetos sociais, seja fazendo atendimento como bombeiro.

O secretário ressalvou que um dos seus objetivos é fazer um trabalho de conscientização junto à população, sobre o que deve ser feito – e o que não se deve fazer – para evitar incidentes:

- Um dos nossos projetos será, justamente, o da Proteção Comunitária, que visa levar às comunidades – daí a necessidade de parceria com os presidentes das Associações de Moradores - uma noção do que é a Defesa Civil, qual é a sua função e como acioná-la. E, a seguir, passar informações de ordem preventiva para que as pessoas não sejam vítimas de um desastre. Tudo isso está em nosso programa de Secretaria, e mais: ele é voltado não só para os adultos, mas também para as crianças através do Projeto Agente
Mirim, em parceria com a Secretaria de Educação, dentro das escolas.

O Major Evenilson esclareceu que atualmente 70% dos municípios do Estado do Rio consideram a Defesa Civil fundamental. Na falta dela é o Estado que deve socorrer e dar suporte. Embora “o desastre seja do município”, ressalvou ele, “é o prefeito que decreta estado de alerta, de calamidade pública, quando ocorre um incidente de maiores proporções”.

Concluindo o secretário reiterou que, em caso de ocorrência, o procedimento é ligar para o 199 e fazer o comunicado, citando o local e o tipo de incidente. A informação será imediatamente repassada para ele que, a seguir, tomará as devidas providências.

Fotos/Sylvia Maria (Jornal Noticiário dos Lagos – 11/01/13)

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Praça da Melhor Idade terá academia de ginástica


A Praça da Melhor Idade, situada no final da Avenida Assunção, esquina com Avenida do Contorno, no bairro da Passagem, está recebendo cinco aparelhos de ginástica para uso a céu aberto. Destes, três já estão colocados (foto).
Um dos logradouros mais tranquilos e agradáveis da cidade, a Praça da Melhor Idade conta com a sede da Uni-Amacaf (União das Associações de Moradores e Amigos de Cabo Frio), um palco ao ar livre, pérgolas e várias mesas para recreação.
Semanalmente um grupo de senhoras, a maioria da Passagem, ali se reúne para troca de conhecimentos e aulas de artesanato, com destaque para bordado, tricô e crochê, pintura em tecido, bijuteria, entre outras modalidades.




Texto e fotos / Sylvia Maria (Jornal Noticiário dos Lagos / 28.12.12)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga por Email